Mercado
Saúde e emprego impulsionam a Odontologia Suplementar

Saúde e emprego impulsionam a Odontologia Suplementar

Por Conexão Dentista- 14/09/2021

De acordo com dados da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), o mercado de planos odontológicos cresceu continuamente nos últimos 20 anos. Superando a expectativa de crescimento de 1,1%, o número de beneficiários aumentou 2,2% no primeiro trimestre de 2021, totalizando 28,1 milhões de brasileiros que contam com um plano.

A pandemia ajudou a acelerar a procura e os cuidados com a saúde, pois as pessoas passaram a se preocupar com a eventualidade de poder precisar de um tratamento e não ter condições para realizar os procedimentos. Outro ponto é a maior facilidade de contratação, com a digitalização e facilitação dos processos de assinaturas de contratos, por exemplo; e mais opções de planos e possibilidades de serviços atrelados a eles e suas vantagens.

 Os planos de entrada, chamados de Cobertura do ROL Mínimo da Agência Nacional de Saúde, já apresentam uma cobertura bastante abrangente, possibilitando o tratamento e controle de duas doenças odontológicas, a cárie e a doença periodontal, por ter cobertura para consultas, restaurações (dentística) tratamento de canal (endodontia), tratamento de gengiva (periodontia), extrações (remoção de dentes).  

Segundo o Ministério do Trabalho e Previdência, a economia brasileira gerou 1,5 milhão de empregos com carteira assinada no primeiro semestre deste ano, o que também contribuiu para o crescimento dos planos odontológicos. E os planos odontológicos estão a cada dia mais inseridos nos pacotes de benefícios das empresas.  

Robert Wieselberg, diretor da Amil Dental, destaca o potencial baseado nos atributos preço, a qualidade e a melhora na autoestima. “Outro ponto importante é o investimento em crosseling. Hoje na Amil, por exemplo, temos 3,4 milhões de beneficiários de planos médicos e 2,2 de planos odontológicos. Vamos buscar cada vez mais essa sinergia entre os negócios”.